Promoção!

Ateneu, O [edição antiga]

R$28,50 R$17,10

Lançada em 1888, esta é uma penetrante manifestação do espírito realista. O narrador-protagonista Sérgio recompõe o passado como forma de entender as próprias angústias. Nas lembranças de quando era aluno de um colégio interno, emergem as linhas de força que simbolizam a sociedade brasileira no Segundo Reinado. O autor mescla digressões poéticas, descrições satíricas, devaneios líricos e crítica social. A apresentação é de Emilia Amaral, professora de Literatura e mestre pela Unicamp.

Prefácio e Notas: Emilia Amaral (Unicamp)
Ilustrações: Raul Pompeia

Em estoque

Informação adicional

Peso 0.301 kg
Dimensões 12 x 18 x 0.18 cm
Ano

2006

Código Interno

597

Edição

2a. ed.

Encadernação

brochura

ISBN

85-8585-159-7

Páginas

328

Autor(es)

  • Emília Amaral
  • Emília Amaral é Doutora pela Unicamp e professora de Literatura. Coautora de Novas Palavras, publicou pela Ateliê o estudo introdutório ao livro O Ateneu, de Raul Pompeia, além de O Leitor Segundo G.H. - Uma Análise do Romance A Paixão Segundo G.H. de Clarice Lispector, pela Coleção Estudos Literários.
  • Raul Pompeia
  • Raul D'Ávila Pompeia (1863-1895) escritor e desenhista. Aos onze anos, Pompeia é matriculado por seu pai no Colégio Abílio, importante internato inaugurado no Rio de Janeiro, pelo Barão de Macaúbas. Aos 17 anos, publica seu primeiro romance Uma Tragédia no Amazonas – chamado pelo autor de “ensaio literário”. Estudou no Colégio Pedro II, no Rio, e depois cursou a Faculdade de Direito do Largo São Francisco. A princípio é bem-recebido pelos professores, mas logo depois Pompeia passa a ser mal visto por alguns catedráticos, devido ao seu envolvimento com a causa abolicionista e com a causa republicana.  Com sólida formação cultural, leitor em diversas línguas, Pompeia tinha acesso fácil ao pensamento europeu que chegava ao Brasil. Sem exercer a advocacia, Raul Pompeia passou a escrever em vários jornais, dentre os quais o Gazeta de Notícias, onde publicaria O Ateneu, uma crônica de saudades, que lhe deu consagração dentre a crítica.  Suicidou-se em 25 de dezembro de 1895, no escritório da casa que morava. Nunca se casou e nem teve filhos. Suas últimas palavras foram deixadas em um bilhete: “Ao jornal A Notícia, e ao Brasil, declaro que sou um homem de honra”. As ilustrações que acompanham o livro O Ateneu são de autoria do próprio Raul Pompeia. O Ateneu seria o retrato do Colégio Abílio, onde o autor recebeu suas primeiras letras.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Ateneu, O [edição antiga]”