Oferta!

Cadenciando-um-Ning

R$35,00 R$14,00

Para Marjorie Orloff, no prefácio, este livro é “um delicado e adorável equilíbrio”. A interessante mistura de registros textuais de que é feito tem razão de ser: ele resulta de um projeto singular de intercâmbio poético entre Bonvicino e Palmer. Os poemas do norte-americano, de sofisticada imagética e rigor filosófico, desafiaram Bonvicino a buscar novas possibilidades expressivas na língua portuguesa. Além das traduções, o volume traz ensaios do brasileiro sobre o colega e diálogos entre ambos.

Assuntos: Poesia

Em estoque

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Cadenciando-um-Ning”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informação adicional

Peso 0.280 kg
Dimensões 13 × 23 × 0.9 cm
Ano

2001

Edição

1a. ed.

Encadernação

brochura

ISBN

85-7480-055-4

Páginas

152

Autor(es)

  • Michael Palmer
    Michael Palmer  é poeta norte-americano, ligado ao grupo chamado Language Poetry e autor de livros policiais e de suspense. Nascido em New York, em 1943. É autor de onze livros de suspense, todos voltados para temas médicos. Além de escritor, é diretor associado da Massachusetts Medical Society Physician Health Services, engajado no tratamento de problemas psíquicos como desordens mentais, comportamentais e químico-dependência, incluindo alcoolismo.
  • Régis Bonvicino
    Régis Bonvicino nasceu na cidade de São Paulo, em 25 de fevereiro de 1955. Formou-se em Direito pela USP, em 1978. Entre suas participações em leituras de poesia, no âmbito internacional, destacam-se as atuações em Coimbra, Santiago de Compostela, Buenos Aires, Paris, Marselha, Chicago, San Francisco, Los Angeles, Hong Kong, Filadélfia, New York, Santiago do Chile, cidade do México, entre algumas outras cidades. Seus três primeiros livros (plaquetes), Bicho Papel (1975), Régis Hotel (1978) e Sósia da Cópia (1983) foram por ele mesmo editados. Seus poemas estão traduzidos para inglês, espanhol, francês, chinês, catalão, finlandês, dinamarquês e outras línguas. Fundou, em 2001, e codirige, ao lado de Charles Bernstein, a revista Sibila, que, em 2007, tornou-se exclusivamente eletrônica.