Poesia Pois É Poesia

Poesia Pois É Poesia reúne toda a obra poética de Décio Pignatari, escrita e publicada ao longo de cinco décadas. Traz também traduções e trabalhos inéditos do autor. Esta antologia permite ao leitor conhecer ou revisitar as diversas faces do estilo de um dos criadores do movimento concretista em São Paulo. Escritor, professor e semioticista, Pignatari compõe seus poemas trabalhando minuciosamente as palavras, desdobrando-as em suas diversas possibilidades sonoras e visuais.

Coedição: Editora Unicamp

Pesquisar no texto deste livro:
powered by Google

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Poesia Pois É Poesia”

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sumário

Poesia Pois É
O Carrossel, 1950 — Clube de Poesia de São Paulo

  • O Carrossel, set.-out.-nov. 1948
  • O Lobisomem, jan. 1947
  • Poema, 24.3.1949
  • Noviciado, jun. 1949
  • Périplo de Agosto a Água e Sal, ago. 1949
  • Rosa d’Amigos, ago. 1949
  • Lenda, 1949
  • O Jogral e a Prostituta Negra, novo. 1949

Rumo a Nausicaa, 1952 — Noigandres 1, São Paulo, ed. dos autores.

  • A Morte do Infante, 17, 18.10.1949
  • Altar-menor, out. 1950
  • Hidrofobia em Canárias, jul. 1951
  • Eupoema, abr. 1951
  • Bateau pas ivre, mar. 1950-mar. 1951
  • Noção de Pátria, 5.3.1951
  • Decius Infante, mar. 1951
  • Reservando-me sempre para as horas frias, nov. 1950
  • Dizer suave ao tempo, Lila, dez. 1950
  • Epitáfio, 30, 31.3.1951
  • Eu sou contemporâneo de alguém, 20.7.1951
  • Viver é frio, sem o cansaço aberto, 5.12.1951
  • Fadas para Eni, ago.-set. 1951
  • Move-se a brisa ao sol final, fev. 1952
  • Evocação Pastoral do Menestrel, dez. 1951-mar. 1952
  • O que se Perdeu, Foi com Palavras, ago. 1952
  • A Água e a Boca (Retornará!), jun.-jul. 1952

Noigandres 5, 1962 — Antologia, São Paulo, ed. dos autores

  • Bufoneria Brasiliensis:
  • Um Flau de Verca, 1955
  • Ponta de um Peso, 1955
  • Escova, jun.-out. 1955

Traduções

  • Ode à Solidão – André Chénier, fev. 1950
  • Amor Entre as Ruínas – Robert Browning, jul. 1950
  • Há um Certo Declinar de Luz – Emilly Dickinson, 1952
  • Balada da Gorda Margô – François Villon, jul. 1955
  • Pedi um Artigo Apenas – Emilly Dickinson, 1967
  • Morte de Romeu – W. Shakespeare, 1967

Pois É Poesia
Vértebra — Noigandres 3, São Paulo, ed. dos autores, 1956.

  • Adieu, Mallaimé (Autoportraître), abr.-mai 1954
  • Stèle pour vivre n.2º 1, jun.-jul. 1955
  • Stèle pour vivre n.2º 2, ago.-1955
  • Um Movimento, abr. 1956
  • Semi di zucca, fev. 1956

Noigandres 4, 1958 — São Paulo, ed. dos autores.

  • Terra, 1956
  • Hombre hambre hembra, 1957
  • Beba coca cola, 1957
  • Life, 1957

Invenção 3, São Paulo, 1963

  • Caviar, 1959
  • Abrir as Portas, 1959

Organismo, 1960 — Ed. do autor, 1960

  • Stèle pour vivre n.2º 3 (Invenção 2, São Paulo, 1962)
  • Torre de Babel (Invenção 3, São Paulo, 1963)

Invenção 4, Poemas Semióticos, 1964 — São Paulo, ed. Invenção.

  • Agora!
  • Pelé

Invenção 5, 1967

  • Disenfórmio, 1963

Exercício Findo, 1968 — São Paulo, ed. do Autor.

  • Cr$isto é a Solução — Encarte após a página
  • Stèle pour vivre n.2º- 4
  • Malharmé vietcong
  • Ideogramas Verbais
  • Contribuição para um Alfabeto Duplo
  • D. Quimorte /3 versões

Código 2, Zenpriapolo, 1975 – Ed. Erthos Albino de Souza & Antônio Risério Filho, Salvador, Bahia

  • Stèle pour vivre n.2º 5, maio 1974 — Encarte após a página
  • Somos Como — Encarte após a página
  • Zenpriapolo, jul. 1974-jan. 1975
  • Notas

Poetc.

  • Lamentação Rimada do Poema
  • Interessere
  • Brazil, My Mother
  • Alfabeto Vertical
  • 0,1 espelho
  • Coloroboco

Calendário Philips 1980

  • Janeiro/Fevereiro
  • Março/Abril
  • Maio/Junho
  • Julho/Agosto
  • Setembro/Outubro
  • Novembro/Dezembro

Década de 80
Poemas

  • O Sítio Encantado — Encarte após a página
  • Poeminha Poemeto Poemeu Poesseu Poessua da Flor
  • Três Poemas Ideológicos de Amor
  • Augrama para Augusto
  • Quase-ode a Horácio Pessoa Reis
  • Bibelô
  • Valor do Poema
  • Liberdade

Traduções

  • Espírito e Mistura — Paul Valéry
  • Bashô
  • De um Verso de Iqbal
  • Cercamon: Uma Paráfrase
  • Abisag — Rainer Maria Rilke
  • A Morte pela Raridade — Marguerite Young
  • Kubla Khan — Samuel Taylor Coleridge
  • Acaso — Thomas Hardy
  • Ode 28, Livro 3 — Horácio
  • Sem Essa Palavra — Gregory Corso
  • A Neóbula, Ausente — Arquíloco
  • O Rei do Sorvete — Wallace Stevens
  • Pensamentos Noturnos — Goethe
  • Canção 1 — Heine
  • Canção 2 — Heine
  • Poema das Nove Portas (Procurando Obuses) — Guillaume Apollinaire
  • A Giganta — Charles Baudelaire
  • 1910 (Intermezzo) — García Lorca
  • Notas

Esparsos e Inéditos
3 Chips Líricos

  • Femme — Folhetim n. 537 (Folha de S. Paulo. 10.0-1.1987) Design: Claudio Ferlauto
  • Um Poema em Esperanto — Folhetim n. 562 (Folha de S. Paulo, 13.11.1987) Design: Claudio Ferlauto
  • Flesh
  • Review n.64, N. York: The Americas Society, 2002

2 Danças — Caderno Mais! (Folha de S. Paulo). Design: Chico Homem de Melo

  • Gogogogol – 1998
  • Mayá — Encarte após a página – 1995

2 Traduções

  • Soneto 29 — William Shakespeare – Revista Carioca/1998
  • O Tempo Despiu o Seu Manto — Charles D’Orleans – inédito

Paraversos

  • Peirce Poem
  • Para Issa
  • Para Stockinger
  • Para Ita Rina
  • Para Safo

Paracores

  • Sorte Homem
  • Vocogramas
  • Colombo
  • Espaztempo / Speacetime
  • Logochicomendes
  • Camélias
  • Solviete para o verão de Maiakóvski
  • Urbeing
  • Ideros
  • Mais dentro

 

Informação adicional

Peso 0,980 kg
Dimensões 18,5 × 24,5 cm
ISBN

85-7480-119-4

Páginas

342

Edição

Ano

2004

Encardenação

Brochura

Autor(es)

    Você também pode gostar de…