Alvarenga Peixoto

Alvarenga Peixoto (1744-1793) Inácio José de Alvarenga Peixoto nasceu no Rio de Janeiro em 1744. Inicialmente estudou Humanidades no Colégio dos Jesuítas no Rio de Janeiro e, mais tarde, se doutorou em Leis pela Universidade de Coimbra em 1767. No Brasil, exerceu a função de ouvidor no Rio das Mortes, onde conheceu Bárbara Heliodora, com quem se casou. Frequentou Outro Preto e, como proprietário de lavras no sul de Minas, descontentou-se com a “derrama”, por isso teria participado da Inconfidência. Criou o lema de Virgílio: Libertas quae sera tamen para a nova república. Foi preso, julgado e desterrado, vindo a morrer de desgosto no presídio, em 1793. A pequena produção poética de Alvarenga Peixoto é irregular. Atreladas às intenções do Arcadismo, apresenta traços espalhados de forte nativismo sentimental que, muitas vezes, se mescla com o poder luso, ou seja, concilia desenvolvimento com respeito a um governo forte, déspota. O tema do herói pacífico atinge sua perfeita expressão na Ode dedicada ao Marquês de Pombal. Nesta lira laudatória, as contraposições têm, como pano de fundo, o cenário mítico arcádico. Sua obra principal é Obras Poéticas (1865).

Exibindo um único resultado

4x sem juros no Cartão
(A partir de R$ 200)

Black Week

52% de Desconto em todo o site. Aproveite!

Exceto outlet, ofertas e promoções.
O desconto será dado no carrinho ao finalizar suas compras.


Devido ao volume de vendas, estamos com um acréscimo no prazo de entrega. Contamos com sua compreensão. Obrigado