Antonio José da Silva, o Judeu

Antonio José da Silva é considerado a maior figura das letras luso-brasileiras do século XVIII (Ronald de Carvalho). Nasceu no Rio de Janeiro, em 8 de maio de 1705, de pais cariocas com ascendência judaica. Quando tinha sete anos, foi para Lisboa, onde se educou e viveu curta e perseguida vida até ser vilmente morto pela Inquisição aos 34 anos de idade, em 18 de outubro de 1739. Escreveu óperas cômicas, encenadas sempre com êxito, entre as quais se mencionam: Vida do Grande D. Quixote de la Mancha e do Gordo Sancho Pança (1733), Esopaida, ou a Vida de Esopo (1734), Guerra de Alecrim e Manjerona (1737). Consta como trabalho seu Obras do Diabinho da Mão Furada, relato picaresco encontrado entre manuscritos da Biblioteca de Lisboa e publicado pioneiramente na Revista Brasileira (1861).

Mostrando um único resultado