Camilo Castelo Branco

Camilo Castelo Branco (1825-1890) escritor português, ficou órfão muito cedo dos pais, o que lhe deu um caráter de muita insatisfação com a vida. Com apenas 16 anos, casa-se com Joaquina Pereira de França, união que durou bem pouco. O seu carácter instável, irrequieto e irreverente leva-o a amores tumultuosos. A partir de 1848, leva vida boêmia, repleta de paixões, repartindo o seu tempo entre os salões burgueses e dedicando-se entretanto ao jornalismo. Apaixona-se por Ana Plácido, mulher do negociante Manuel Pinheiro Alves. Camilo seduz e rapta Ana Plácido. Depois de algum tempo de perseguição, são capturados e levados a julgamento. O caso emocionou a opinião pública, pelo seu conteúdo tipicamente romântico. Foram julgados, condenados por adultério e presos. Depois de algum tempo foram absolvidos do crime, então Camilo e Ana Plácido passaram a viver juntos. Ana Plácido teve um filho do primeiro marido e mais dois de Camilo. Com uma família tão numerosa para sustentar, Camilo começa a escrever em ritmo alucinante. Camilo passa os últimos anos da vida ao lado dela, não encontrando a estabilidade emocional por que ansiava. As dificuldades financeiras, a doença e os filhos incapazes dão-lhe enormes preocupações. Suicida-se em 1890, com um tiro na cabeça, desgostoso da cegueira que vinha progredindo rapidamente.

Mostrando um único resultado