Fernando Fortes

Carlos Fernando Fortes de Almeida é médico psicanalista, contista, poeta e romancista. Forma-se em 1961 para exercer a profissão de médico psicanalista, filiando-se à Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro. Escreve os primeiros versos aos 15 anos, estreando em 1958 com o livro de poemas Tempos e Coisas, pelo qual alcançou o 3º lugar no Festival Brasileiro de Poesia, realizado em Porto Alegre. Colabora ativamente no Suplemento Dominical do Jornal do Brasil. Publica a seguir a novela Epílogo de Epaminondas (1959), Poesia Neoconcreta (1960) e Canto Pluro (1968), com o qual vence o Prêmio Olavo Bilac de poesia do Estado da Guanabara em 1967. Seguem-se Poesia Viva I (1968), Desamérica, de contos, (1969) e O Evangelho Antes de São Mateus (1969), com enaltecedora introdução de Antônio Houaiss. Classifica-se entre os finalistas do III Prêmio Walmap (1969), com o romance então inédito A Véspera do Medo. Nesta obra, a poesia e a prosa se mesclam para possibilitar vigorosas radiografias de uma realidade psíquica em que se desenvolvem ou se fragmentam situações humanas. São posteriormente publicados Augusto dos Anjos: Eu tu ele nós vós eles (1978), crítica; Arma Branca (1979), poesia; e O Estranho mais Próximo (1988), romance.

Mostrando um único resultado