José Paulo Paes

José Paulo Paes nasceu em Taquaritinga (SP), em 1926. Estudou química industrial em Curitiba, onde publicou seu primeiro livro de poemas, O Aluno, em 1947. Trabalhou num laboratório farmacêutico e na editora Cultrix, aposentando-se para poder dedicar-se inteiramente à literatura. Pesquisador, tradutor, ensaísta e poeta, também foi colaborador regular na imprensa literária. Escreveu livros de poemas voltados ao público infantojuvenil. Recebeu vários prêmios literários, como o Jabuti, o da APCA, o da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Poesia: O Aluno (1947); Cúmplices (1951); Novas Cartas Chilenas (1954); Epigramas (1958); Poemas Reunidos (1961); Anatomias (1967); Meia Palavra: Cívicas, Eróticas e Metafísicas (1973); Resíduo (1980); Calendário Perplexo (1983); É Isso Ali (1984); Um por Todos (1986); A Poesia Está Morta, mas Juro que Não Fui Eu (1988); Poemas para Brincar (1990); Olha o Bicho (1991); Uma Letra Puxa a Outra (1992); Prosas Seguidas de Ode Mínimas (1992); De Ontem para Hoje (1996); Um Passarinho me Contou (1996); Melhores Poemas (1998); Ri Melhor Quem Ri Primeiro (1999); Socráticas (2001). Crítica literária: Mistério em Casa (1961); Pavão, Parlenda, Paraíso: uma Tentativa de Descrição Crítica da Poesia de Sosígenes Costa (1977); Gregos & Baianos: Ensaios (1985); A Aventura Literária: Ensaios sobre Ficção e Ficções (1990); Tradução, a Ponte Necessária: Aspectos e Problemas da Arte de Traduzir (1990); De Cacau a Gabriela: um Percurso Pastoral (1991); Canaã e o Ideário Modernista (1992); Transleituras: Ensaios de Interpretação Literária (1995); Quem, Eu?: um Poeta como Outro Qualquer (1996); Os Perigos da Poesia e Outros Ensaios (1997); O Lugar do Outro: Ensaios (1999). Morreu em São Paulo, em 1998.

Exibindo todos 2 resultados